Cerrado Wine Tour: passeio inusitado e delicioso

Compartilhar
Parreiral da Fazenda Pireneus

Parreiral da Fazenda Pireneus

No município de Cocalzinho de Goiás, a cerca de 100 km de Brasília e 60 km da histórica cidade de Pirenópolis, fica a Vinícola Pireneus, a única produtora de vinhos finos no cerrado brasileiro. O empreendimento é resultado de muito esforço e persistência do médico Marcelo de Souza e da analista de sistemas e agora chef de cozinha Adriana Carvalho. Em 2005, eles plantaram, na base da Serra dos Pireneus, em Goiás, 4 hectares de mudas de videiras importadas da Itália para dar início ao seu sonho.

Cachos de uva syrah

Cachos de uva syrah

As variedades que mais se adaptaram ao lugar foram syrah, barbera e tempranillo, utilizadas para produzir os quatro vinhos que, atualmente, chegam ao mercado: Intrépido (Syrah), Bandeiras (Barbera), Terroir Syrah e Terroir Barbera. Os dois últimos recebem ainda em sua composição a uva  tempranillo. A primeira remessa de vinho foi produzida em 2010 e começou a ser comercializada em 2012. Desde então, a produção vem se aprimorando e ganhando espaço entre consumidores exigentes. Em 2016, foram produzidas 6.500 garrafas.

Vinho Bandeiras 2015 presente na degustação

Vinho Bandeiras 2015 presente na degustação

Graças ao incentivo do Experimente Brasília, laboratório de turismo criativo que promove experiências no Distrito Federal e arredores, os proprietários da Vinícola Pireneus decidiram abrir a fazenda para visitação em 2014. A temporada do Cerrado Wine Tour, passeio oferecido pela agência brasiliense, vai de maio a agosto, quando as uvas já estão próximas da colheita. Hoje também são recebidos grupos independentes ou organizados por empresas de Goiânia.

Quiche de pato

Quiche de pato

Guiados pela turismóloga, Thalyta Ribeiro, sócia do Experimente Brasília, tivemos a oportunidade de conhecer as videiras da Fazenda Pireneus em meados de junho, quando os cachos de uvas já estavam graúdos, mas ainda verdes. Numa pequena e rústica varanda, fomos recebidos carinhosamente por Adriana, que nos contou a história da vinícola e nos conduziu pelo breve parreiral.

Ragú de ossobuco com polenta

Ragú de ossobuco com polenta

Após a caminhada, saboreamos um delicioso almoço preparado pela anfitriã e harmonizado com alguns dos rótulos da vinícola. De entrada, havia canapés de bacalhau acompanhados de um agradável vinho rosé não rotulado, “produzido com a safrinha”, segundo Adriana. Uma saborosa quiche de pato foi servida com o Terroir Barbera 2015, vinho de médio corpo, boa acidez e taninos suaves. Também foi oferecido um ragú de ossobuco com polenta harmonizado com o vinho Bandeiras 2015, estruturado, intenso e equilibrado. Os três vinhos são muito aromáticos e com sabor da fruta bem presente, o que me agrada muito. Por último, foi servido um delicioso opéra, clássica sobremesa francesa composta de finas camadas de bolo intercaladas com cremes de chocolate e de café.

Opéra, clássica sobremesa francesa

Opéra, clássica sobremesa francesa

A experiência oferecida pelo Experimente Brasília custa 360 reais por pessoa e dura cerca de 8 horas. O valor garante o traslado de Brasília até a Fazenda Pireneus em uma van confortável, seguro de viagem e almoço harmonizado.

Mesa cuidadosamente preparada para o almoço

Mesa cuidadosamente preparada para o almoço

Comentários
Compartilhar